Ele não aprende: André Maia nomeia parentes de vereadores que receberam “mensalinho”

São informações novas que devem ser adicionadas à investigação.

Mesmo sendo investigado pela Polícia Federal por suposto pagamento de “mensalinho” para cada vereador de sua base.
Da REDAÇÃO do ACJONAL em Rio Branco
A nomeada Celia Mota e seu esposo pastor e vereador Uchoa.

Mesmo sendo investigado pela Polícia Federal por suposto pagamento de “mensalinho” para cada vereador de sua base (valores apurados pela polícia seriam de R$ 3 mil) e fazer nomeações de fantasmas, o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, nomeou a esposa do vereador pastor Uchoa, Célia Maria Mota Costa Uchoa, para a Secretaria Municipal de Articulação Institucional.

O prefeito, que voltou ao cargo após 10 meses preso, contemplou ainda o vereador Cleilton Nogueira, que indicou um apoiador político seu, Joaquim Ferreira da Silva Neto, conforme o Diário Oficial de número 12676. Ambos os vereadores estão denunciados pela PF.

Prefeito com sua base, inclusive o vereador Cleilton Nogueira de camisa azul.

“(…)Foi encontrada uma conversa, pelo aplicativo wattsapp, possivelmente tratando de repasse de parte dos vencimentos recebidos da Secretaria Municipal de Planejamento por Joaquim Ferreira da Silva Neto ao vereador Cleilton. Em análise preliminar das conversas via aplicativo de mensagens, wattsapp, foi encontrado, como já citado, conversa relevante para a investigação (…)”.

Joaquim Ferreira da Silva Neto, conforme o Diário Oficial de número 12676.

Em relatório de Análise dos Agentes de Polícia Federal, assinado em 24 de janeiro de 2019, na realização de busca, apreensão e perícia, foi achado na residência de um dos vereadores investigados um telefone que acabou levando o vereador Pastor Uchoa a comprovar que recebia o mensalinho de R$3 mil do Prefeito André Maia.

Segundo a Polícia Federal, o evangélico pedia esses valores “emprestados” ao Prefeito. Quando André questiona se seria daquele combinado (mensalinho), o crime é concretizado. Veja trecho constante no inquérito da Polícia Federal.

“(…) Em outro trecho, em diálogo pelo aplicativo whatsApp entre o Vereador Dioclecio Uchoa Barroso e o Prefeito André Maia ocorrido dia 12111/2018, há menção de pagamento de valores em dinheiro pré-combinado de prefeito para o respectivo vereador. No diálogo da IMAGEM IV, o Vereador Dioclécio Uchoa questiona o prefeito André sobre um possível empréstimo de R$300,00 reais. O prefeito responde de forma afirmativa questionando o vereador se esse valor poderia ser um adiantamento “daquele combinado” e solicita uma conta da Caixa Econômica Federal para transferência(…)”.

As nomeações demonstram a continuidade de atos criminosos na Prefeitura de Senador Guiomard. São informações novas que devem ser adicionadas à investigação.