Interesse pessoal dos diretores de escolas municipais é derrotado na Câmara

Enquanto alguns buscam melhorar a qualidade de ensino, outros se unem em busca de espaços de poder e se duvidar até dinheiro como acontecia no pagamento indevido de dobras.

A incapacidade de gestão escolar democrática vem sendo manifestada desde o mandato do ex-prefeito James Gomes, quando os diretores chegavam a trair a própria categoria negociando reajustes salariais enquanto o movimento buscava melhoria para todos.

As diversas tentativas não lograram e parece que não lograrão êxito com o Prefeito André Maia que atendendo as recomendações do Tribunal de Contas do Acre-TCE, bem como da Promotoria de Justiça Cível resolveu reduzir gastos com pessoal com as dobras e o não pagamento das gratificações dos coordenadores de ensino.

Esses dias em um debate um servidor da educação lembrou. “Os diretores de escola precisam trabalharem para aumentar o número de alunos na rede municipal, melhorar o ensino e só então pensar em outras pautas, pois a comunidade já percebeu que eles só pensam neles”.

A vereadora Cláudia Lima (PT) colocou em votação um projeto de lei que passava a autorizar os diretores de escolas municipais a nomearem os coordenadores de ensino. Atualmente a nomeação é do prefeito. A matéria foi derrubada em plenário pela maioria.