Integridade

Deve ser difícil encontrar um homem, ainda mais um jovem, dando uma resposta como essa de José a um convite aparentemente irresistível. A razão dessa dificuldade são os valores decaídos apregoados na sociedade atual.

Satanás, quando nos seduz, oferece sempre um prêmio, mas como ele é o pai da mentira, acaba acontecendo o contrário. Enquanto acenava para José com o prazer daquele pecado, na realidade a rejeição daquela oferta seria o meio que Deus usaria para leva-lo a uma posição elevada na qual ele salvaria da fome seus familiares e também o poderoso reino egípcio.

Que ensino precioso para quem se mantém integro e fiel a Deus! Para experimentarmos a benção da fidelidade basta esperar. No texto de Genesis 39.1-9, vemos por três vezes a marca da presença de Deus com o seu servo. O verso 2 afirma que “o Senhor estava com José”. No verso 3 lemos que “o Senhor estava com ele e o fazia prosperar”. O verso 5 afirma que “o Senhor abençoou a casa do egípcio por causa de José”. A presença do Senhor foi marcante na vida de José, assim como o procedimento de José na presença do Senhor.

Havia no relacionamento entre Deus e José uma reciprocidade, um vai e vem. Para uma pessoa de vida tão integra diante de Deus como foi José, é típico questionar o pecado quando ele aparece. Eis a pergunta, muitas vezes esquecida: “Pecaria eu contra Deus?” É o primeiro ponto a ser levantado se quisermos ser íntegros em nossa vida espiritual e experimentar a paz de Deus em nosso coração.

A desobediência a Deus (o pecado) é o maior obstáculo para uma vida feliz. Mesmo pesquisas médicas têm dado apoio à noção de que a maioria das doenças emocionais, quando não há causas fisiológicas, é proveniente da falta de paz com Deus.

Até o bem-estar físico também depende do bem estar espiritual. – “Felizes os que têm prazer na lei do Senhor” (Sl 1.2). Sigamos, pois, irmãos a Jesus de Nazaré, a exemplo de José, com integridade!

Pr. Nicomedes Nunes de Souza é Bel. em Teologia, Bel. em Psicologia e Pastor da Igreja Batista do Quinari