Empresários e pecuaristas manifestam apoio a mudança proposta por Gladson e Rocha

Desde o início da campanha para governo do Acre, Gladson Cameli tem dito que uma das principais propostas do seu Plano de Governo é governar da zona rural.

Desde o início da campanha para governo do Acre, Gladson Cameli tem dito que uma das principais propostas do seu Plano de Governo é governar da zona rural para a zona urbana em uma clara menção de como será o tratamento destinado ao setor primário. Nesta quarta-feira (19), acompanhado do candidato a vice-governador, Major Rocha, em uma reunião com pecuaristas, mais uma vez ele defendeu que a principal alternativa econômica para o estado retomar o caminho do crescimento e do desenvolvimento está no fomento ao agronegócio.

“Vamos abrir o Acre para o agronegócio e deixar as pessoas trabalharem para aquecer a economia.Com esse modelo econômico que está aí o nosso povo não aguenta mais quatro anos. Só se Deus me provar ao contrário, mas a salvação do estado está no setor primário”, reafirmou o candidato a governador.

Gladson frisou aos pecuaristas que uma das metas de seu governo, caso eleito, é fortalecer o estado e torná-lo competitivo. Segundo ele, isso será possível através de investimentos no setor primário.

“Na transição já quero procurar a Federação da Agricultura do Acre (FAEAC) para indicar uma pessoa para compor a equipe. Quero colocar as pessoas certas nos lugares certos. Temos gente qualificadas aqui pra isso. Vamos ser o governo da parceria”, revelou o candidato a governador aos participantes da reunião.

Segundo o pecuarista Marcelo Bader, o encontro dos representantes do segmento com Gladson e demais candidatos da coligação Mudança e Competência, como foi o caso do candidato a Senador da República, Márcio Bittar (MDB), foi um movimento espontâneo. “Uma grande mobilização está sendo feita no Brasil contra a corrupção, a violência e outras questões. Aqui, nós nos reunimos e decidimos conversar com quem quer conversar conosco”, esclareceu Marcelo Bader ao se dirigir a Cameli.

Já de acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Acre (FAEAC), Assuero Veronez, o momento é de estrema importância para todos aqueles ligados ao setor. “A nossa atividade é a mais importante do estado e, atualmente, não é reconhecida dessa forma. Temos que tirar a sela do nosso lombo. Acreditamos na candidatura do Gladson. É hora de mudar. O Acre precisa passar por isso. Aqui você não vai conquistar votos porque já tem todos. Estamos juntos para participar dessa mudança”, disse Veronez.