Em agravo ao TJAC André usa ataques de seus aliados à gestão de Gilson como prova

O prefeito preso e logo afastado do cargo André Maia (PSD) usa como prova em sua defesa em um agravo regimental proposto ao Tribunal de Justiça do Acre as críticas de seus aliados ao prefeito Gilson para tentar retornar ao cargo.

Em tom de desespero “político” e não jurídico, o advogado Márcio José Castro de Aquino, patrono de André tenta fazer crer que as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público são uma armação de seus adversários políticos.

O agravo regimental no qual o afastado busca retomar ao cargo, cita o nome do jornalista Gilberto Moura, o acusando por ser amigo do ex-prefeito James Gomes e do atual prefeito Gilson, em claro tom de desespero.

O Procurador Álvaro Luiz de Araújo Pereira explica: Do mesmo modo, não se tem por pertinentes as discussões a respeito de exonerações e nomeações levadas a efeito pelo então prefeito daquela comuna, uma vez que tais dizem respeito a discricionariedade do gestor público, cabendo somente ressalva no sentido de que, conforme visto na denúncia ofertada em desfavor do Agravante, foi densa a demonstração da participação de servidores públicos municipais, dentre eles secretários e integrantes da comissão de licitação, nos esquemas de corrupção sistemáticos, promovidos por organização criminosa, que atingiram os cofres públicos guiomaenses, soando razoável eventual mudança da equipe de governo.

Em outra via também tenta acusar os vereadores Cláudia Lima, Fabrício Lima e Chaguinha. Esse argumento é rechaçado pela Procuradoria de Justiça que defende a lisura das investigações que o tiraram da condução do município de Senador Guiomard.