Artigo: Ética x cara de pau

As administrações públicas de todo o Brasil enfrentam graves dificuldades estruturais e orçamentárias, não sendo diferente em Senador Guiomard. Para se ter uma ideia, segundo o Tribunal de Contas do Estado do Acre – TCE/AC, o município continua operando acima dos limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF.

Graças a Deus, esses percentuais baixaram e segundo consta, o atual Prefeito Gilson da Funerária disse que pretende reduzir mais, até chegar ao limite estabelecido em lei, isso será de grande valia para a municipalidade de Senador Guiomard, uma vez o gasto volumoso com folha de pagamento impede o ente público de realizar diversas ações que possibilitariam ganhos para a população.

Neste passo, tendo assumido a Prefeitura em menos de 6 (seis) meses por força de lei, o atual Prefeito que ainda tenta organizar a casa já é vítima dos seus ex-colegas, vereadores denunciados e enrolados com a Lei, como este site já noticiou em várias oportunidades. Agora não só por denunciados, e sim também vítima do homem que resolve tudo através de vídeos nas redes sociais.

Celso Oliveira, eleito pelo PSDB, não sabe a qual senhor serve, se a Deus ou o Outro como diz o ditado popular. Em vídeo ele anunciou que pediria a cassação do mandato de André Maia. Esquece o Celso Oliveira que a Câmara do Quinari em sua maioria não tem condições éticas e nem morais para abrir processo de cassação do mandato de ninguém.

Inclusive, cabe ao Celso Oliveira também falar de seus colegas, encrencados e enrolados junto com o André Maia, que teve que ceder a chantagens. As provas estão nos autos. Celso Oliveira parece que fazia oposição na época, ocorre que dele não consta nas operações da Polícia Federal sequer uma contribuição de denúncia.

Por outro lado, você vê não só Celso Oliveira, como também Magildo Lima (PP), Cleilton Nogueira (PR) e até Francisca Macedo (PT), de uns meses para cá essa turma acordar  e agora nota todos os problemas do Quinari. Não se quer com isso impedir o exercício de fiscalização do vereador e sim informar que o Supremo Tribunal Federal – STF, já discute o vício de decoro parlamentar. Ou seja, quando aquela ação parlamentar tá eivada de interesses diferente da finalidade pública.

Parece-me incoerente o Celso Oliveira pedir o afastamento do André Maia e não de seus colegas denunciados, ficando claro o confronto entre a ética e a cara de pau. Ao contrário, é querer jogar para a platéia. A eles, um óleo de copaíba na face, cairia muito bem, pois o povo os conhecem.

Gilberto Moura

Editor Licenciado do Portal Quinari