Connect with us

COLUNAS

Debate no Supremo Tribunal Federal não tratou de liberdade religiosa como alguns malucos tentam passar

Published

on

Em época de gado solto sobre as ruas, em forma de gente, até porque alguns animais parecem mais racionais que alguns seres humanos, cumpre trazer uma explicação sobre o debate que acontece no Brasil, sobre a liberdade religiosa, especialmente de julgados perante o Supremo Tribunal Federal.

O debate que acontece no Supremo Tribunal Federal não é sobre a “liberdade religiosa” como alguns querem induzir, e sim sobre “a possibilidade dos governo estadual ou municipal” editarem decretos que venham impor restrições de aglomerações em eventos de qualquer natureza, visando combater o novo Coronavírus.

Ocorre que as decisões conflitantes do Ministro indicado pelo Presidente Bolsonaro, Nunes Marques, bem como as manifestações do Procurador Augusto Aras e do próprio presidente tem ao que parece o objetivo de incitar a opinião pública contra a mais alta Corte de Justiça, o que não é  ético no atual momento, pois várias vidas estão sendo ceifadas pelo coronavírus.

A decisão do Supremo Tribunal Federal, a quem é dado a guarda da Constituição e suas cláusulas pétreas deverá ser dentro do razoável, primeiro velando pela autonomia dos estados e municípios, ou seja, cada um regular conforme seus dados de saúde e orientações técnicas, enquanto ao Governo Federal caberá a incumbência de gerir os recursos, formalizar parceiras e buscar vacinas.

Então, não seja levado como “boi” ao “matadouro”. A racionalidade foi dada ao homem para pensar e não ser massa de manobra de “falsos pastores” ou qualquer outro ser.

*Editorial.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *