Delator comprometeu mais da metade da Câmara do Quinari

A Câmara dos Vereadores foi alvo de operação da PF em 13/12/2018, onde a maioria de seus membros responde por crime de corrupção passiva.

Uma colaboração premiada nos autos do processo 001003-91.2019.8.01.0009 comprometeu mais da metade da Câmara dos Vereadores de Senador Guiomard, ao afirmar que de fato existia o pagamento de R$ 3.000,00 (três mil reais) aos vereadores da base de André Maia na Câmara.

Em sua inicial acusatória o delegado de Polícia Federal Eduardo Gomes escreveu: “Da leitura do corpo da Delação Premiada, vê-se desde logo, que as investigações foram acertadas e que todos os investigados citados nos tópicos anteriores estavam inseridos no contexto criminoso na Prefeitura de Senador Guiomard”, ao fazer menção ao nome de seis vereadores do Quinari.

Cleilton Nogueira (PR), Idalete Holanda (PSB), Francisca Macedo (PT), Magildo Lima (PP), Pastor Uchoa (PSD) e Jamis Queiroz (PR) estão com os nomes no processo que será julgado pelo Juiz Romário Divino Farias, titular da vara criminal da comarca de Senador Guiomard.

Em sede depoimento a PF, bem como ao MPE, em acordo homologado pelo Tribunal de Justiça, o colaborador diz que para aumentar as “provas de pagamento do mensalinho aos vereadores bastava uma busca e apreensão da chefe de Gabinete de André Maia (ele refere-se à Flávia Serfisa Moreira) que seria possível aumentar os elementos que a PF estava investigando.