Sindicato tenta usar servidores como massa de manobra para pauta pessoal de alguns diretores e leva corte público

Que a grande parte dos diretores de unidades de ensino da rede municipal de Senador Guiomard não primam pela ética e probidade no serviço público, não é novidade.

Nos últimos meses a gestão municipal adotou a realização de corte de pessoal em todas as Secretarias e principalmente na educação, onde havia uma festival de dobras.

Depois das dobras o corte seguiu rumo ao cargo de coordenador de ensino, este segundo a Lei Democrática de Gestão Escolar, de livre nomeação do Prefeito.

Insatisfeitos com os cortes de regalias de alguns diretores de escola que se unem em um grupo voltado aos seus interesses pessoais, estes resolveram mobilizar o famigerado Sinteac para reivindicar o cargo de “Coordenador de Ensino” ocupado pelos apadrinhados dos gestores que se reservam em coordenações/direções.

O Sinteac que perdeu a legitimidade para representar professores, tentou fazer uma Assembleia Geral na Escola Brigadeiro, espaço usado pela atual gestora como palco da mobilização pelos interesses pessoais dela e de outros, quando parece que a pauta não teve adesão de servidores.

“O Sindicato permaneceu na inércia no aumento dos cargos da gestão municipal, no aumento das FG, corte de dobras, na divulgação de possível demissão dos concursados e agora quer discutir cargo de coordenador de ensino? Educação não é somente professor, é toda a categoria” disse o servidor de Apoio Aurimar.

As medidas da gestão municipal visam reduzir o gasto de pessoal, fruto da orientação do Tribunal de Contas do Acre – TCE e do Ministério Público do Estado.

Depois da fala do servidor muita gente tentou remendar a pauta. Fato é que nos próximos dias haverá uma desfiliação em massa da entidade sindical que perdeu a representatividade dos professores na justiça para o Sinproacre, devendo tão somente lutar por servidores de apoio e não faz.

Da Redação do Portal Quinari