Senadora Mailza Gomes garante continuar lutando por assistência às vítimas da vacina do HPV

Uma audiência pública para aprofundar o debate sobre o tema foi proposta pela senadora.

A senadora Mailza Gomes (Progressistas) garantiu na tarde desta terça-feira (5) em seu gabinete, em Brasília, continuar lutando junto ao governo federal pelo diagnóstico completo sobre as vitimas da vacina HPV no Acre e, junto ao governo do estado, a continuidade da assistência para mais de 90 adolescentes.

Uma audiência pública para aprofundar o debate sobre o tema foi proposta pela senadora. O encontro deve acontecer na Assembleia Legislativa do Acre com a presença da ministra de estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

“A secretária nacional da família, Ângela Vidal representou a ministra Damares na reunião e garantiu a presença dela na audiência que tem como objetivo aprofundar o debate sobre o diagnóstico das vítimas e, ainda, garantir assistência compartilhada entre os entes federativos para todas que sofrem com as reações”, disse Mailza.

O encontro contou ainda com a presença da médica e especialista em perícia, Dra. Emilia Serra, a vereadora Lene Petecão (PSD) e dona Bruna Alita da Silva Melo, que representou as mães das adolescentes afetadas pelas reações pós-vacina HPV. A data da audiência foi pré-agendada para 25 de novembro.

“Nós temos que agradecer muito o governador Gladson Cameli que recebeu todas as mães e tem sido um grande parceiro nessa luta. A batalha não acabou com o diagnóstico de histeria coletiva apresentado pela USP, nós não aceitamos, queremos aprofundar o estudo e buscar soluções” disse a vereadora.

Os surtos de histeria coletiva (também conhecidos como a doença psicogênica de massa) acontecem quando um grupo de pessoas passa a ter sintomas, perturbações ou reações semelhantes, de forma solidária a qualquer fato, imaginário ou exagerado.

Um estudo paralelo apresentado pela doutora Emília discorda do diagnóstico da USP que, segundo dona Bruna [mãe da Patrícia] não representa nenhum movimento contrário a vacinas no país.

“Temos dúvidas em relação a vacina do HPV. Nossas filhas eram saudáveis e após a vacinação apresentaram reações adversas. O apelo é que a bancada acreana, não somente a senadora Mailza cobre o diagnóstico completo. A senadora abraçou nossa causa, tem sido receptiva e isso nos deixa com mais esperança”, disse dona Bruna.