Saúde faz paralisação até alcançar coeficiente para realizar greve

A foto foi enviada pelo Sindicalista Adelci Lima, sendo da primeira manifestação.

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre – SINTESAC, Núcleo de Senador Guiomard realizou nesta quinta-feira (15) mais uma paralisação de alerta para deflagrar greve na saúde na rede de saúde do município.

Esse foi o segundo ato de manifestação no qual os servidores estão pedindo melhores condições de trabalho, valorização do profissional de saúde, novos médicos e o cumprimento por parte do município das promessas feitas em negociações anteriores, como por exemplo o piso nacional dos agentes de saúde e endemias.

De acordo com o sindicalista Adelci de Almeida Lima, o Nena da Saúde, a tentativa é negociar de forma amigável, porém nas duas ocasiões não havia ninguém para receber os sindicalistas. Ressalta ainda que as negociações acontecem há um ano e dois meses, porém sem sucesso.

O prefeito André Maia (PSD) disse que entende a questão que em todo início de ano os sindicatos se mobilizam em busca de reajuste para as categorias de servidores, mas a prefeitura do Quinari não teria como conceder um aumento para os servidores da saúde porque falta de dotação orçamentária e restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal.

André Maia destaca que abriu os dados financeiros do município aos sindicatos para demonstrar a impossibilidade de haver reajustes salarial. “Eles têm conhecimento dos atuais dados. Eu já sentei com todos os sindicatos, levei contador, abri a folha de pagamento. O Quinari gasta quase 40% com a educação, quando a Lei prevê um gasto de 25%. Esta é apenas uma das questões”.

Segundo Maia, as demais categorias entenderam o município não tem como conceder qualquer tipo de aumento, mas os servidores da saúde estariam sendo incentivados pelo vereador Gilson da Funerária (PP) que emprestou o caixão para realizar a manifestação no prédio da prefeitura. O prefeito afirma que o parlamentar e sindicalista da saúde fazem politicagem para aparecer.

“O movimento tinha 12 pessoas. O caixão é do vereador que se juntou com o presidente do sindicato e querem aparecer fazendo politicagem. Estamos esperando uma reunião da promotora com os sindicatos. Só a saúde que ainda não entendeu e acha que a gente pode conceder algum tipo de aumento”, diz André Maia, ao condenar o uso político do sindicato da saúde no Quinari.

O prefeito espera que durante a reunião com o MP os servidores sejam esclarecidos da situação financeira delicada do município. “Eu não posso ser irresponsável de dar um aumento assim como vários deram. E na realidade o aumento não vai acontecer não tem parâmetro legal para isso”, destaca André Maia, que apresentará os dados contábeis para os servidores públicos.