A promotora busca a condenação dos demandados por improbidade administrativa.
Promotora de Justiça Eliane Misae.

A Promotora de Justiça Cível Eliane Misae Kinoschita busca na justiça a condenação de André Maia e outros pela devolução de 149.628,55 (cento e quarenta e nove mil, seiscentos e vinte oito reais e cinquenta e cinco centavos) em virtude de pagamento para servidor que não prestou serviços à Prefeitura.

Segundo a promotora em sua inicial, ela recebeu uma denúncia anônima e ao apurar chegou à conclusão que um servidor cedido pela gestão do estado não havia prestado serviços. A promotora ouviu inúmeros depoimentos e fez verificações, constatando que se tratava de “um fantasma”.

André Maia, um dos seus advogados e o Vice-governador Major Rocha com seus apoiadores caminharam pelas ruas.

Com André Maia foram denunciados Dário Carvalho da Costa, Flávia Serfisa Moreira, Francisco de Oliveira Lopes e Terezinha Batista de Souza. A controvérsia se instalou na cessão de Dário Carvalho.

Por seu turno os demais citados, enquanto responsáveis e depoentes estão no polo passivo da ação por prestarem falsas informações à autoridade. Esta ação é própria da Promotora de Justiça, que inclusive fez oitiva de André Maia que tentou ludibriar no interrogatório.