Artigo/Opinião: Articulação do meu umbigo primeiro

Na briga por aumentar os salários, os diretores de escolas municipais criaram um movimento paralelo ao dos trabalhadores em educação para tentarem garantir os seus reajustes salariais.

Se não bastasse a crise financeira que assola o país e a possibilidade quase zero do prefeito conceder algum tipo de benesse para os trabalhadores em educação, a categoria que rala com um salário pequeno, parece que ganhou mais uma ajuda contrária, a do meu umbigo primeiro.

Espatifado no ventilador, o fato contou com uma posição autêntica do movimento sindical que parece ter sido claro, que não estava em pauta discussão para melhorias de gratificação de diretores.

A articulação não parou. São reuniões e reuniões. Falta apenas uma reunião para discutir uma saída para melhorar o ensino, fazer a busca de alunos que abandonam a escola e também o sentimento de plantar para poder colher.

O que a categoria da educação espera do Prefeito André Maia? O mesmo tratamento que deu a saúde. O mesmo diálogo e que se faça O DEBATE para contemplar a todos setores educacionais, não apenas daqueles que exercem a função de coordenar as unidades escolares.

Um sindicalista comentou: – fiquei triste, pois se o prefeito concedesse um reajuste para todos, também contemplaria os gestores, pois são professores, funcionários de apoio que ocupam essas funções, não ao contrário disso.

Por outro lado, os condutores do movimento dizem que é um debate da lei de gestão das escolas. Então está havendo inversão da pauta? Não é importante debater primeiro o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações dos Servidores – PCCR?

Com a palavra o tempo.